Se entendemos de pessoas, entendemos de organizações

Em todos estes anos trabalhando com pessoas, andando pelos corredores de grandes, médias e pequenas empresas, pude perceber alguns acontecimentos interessantes; Independente do tamanho da empresa, e consequentemente do número de colaboradores, as pessoas vivem e desempenham suas funções mais felizes, com mais harmonia, existe um clima positivo, e a consequência positiva disto, se transforma em produtividade maior e com menos erros.

Por outro lado, algumas empresas tem muita dificuldade em transformar o ambiente de trabalho, em local favorável, harmonioso, onde os colaboradores se sentem infelizes, onde as consequências podem ser inimagináveis. Ao não ter o engajamento, o “vestir a camisa”, o espírito de cooperação, cedo ou tarde esta empresa terá sérios problemas.

                A falta de comprometimento dos colaboradores, será transformada em serviços mal feitos, mal acabados, desperdício de material, lentidão, e o pior, o prejuízo cego, aquele que a gente não vê, porque o colaborador acaba por fazer algo que dê prejuízo, como quebrar algo, máquinas, materiais etc., como forma de se “cobrar” do seu líder, que não entende nada de pessoas, porque foi mal entendido, ou porque seu líder falou de forma grosseira, e por aí vai...

A pergunta que sempre me fiz, é porque acontece isto, mesmo em empresas do mesmo setor, e muitas vezes empresas da mesma cidade.

Não posso e não consigo resumir em uma só resposta.

As variáveis são muitas, e cabe a cada uma, texto semelhante a este.

Partimos para uma das principais causas: Se buscarmos no contexto histórico, vamos perceber que o PODER se alternou através da história da humanidade. Nos primórdios da humanidade já organizada, o PODER era traduzido pelo tamanho dos territórios que possuía, tanto o Estado, os Impérios, quanto as pessoas. As guerras aconteciam pela conquista de novos territórios. Num segundo momento, chegou a REVOLUÇÃO INDUSTRIAL, onde as maiores indústrias eram as que “davam as cartas”, independente da qualidade do produto. Quanto maior a indústria, mais poder tinha. Hoje, vivemos a era da informação. Quem diria que chegaríamos onde estamos no que diz respeito à comunicação. Falar com alguém que mora do outro lado do mundo, por vídeo de forma instantânea, lembrando que a comunicação até poucos anos atrás era no máximo por cartas. A dificuldade neste quesito, se transformará em sérios problemas. E aí entra algo que muitos líderes, donos de empresas, ainda tem dificuldade em entender: COMO LIDAR COM PESSOAS.

Um dos maiores problema que acaba gerando todo o acima descrito, é A FALTA DE HABILIDADE EM LIDAR COM PESSOAS. Temos que entender, que os colaboradores são pessoas iguais a todos os humanos: são de carne, ossos, cérebro, coração e mente. OU NÓS ENTENDEMOS DE PESSOAS, OU SEREMOS INFALIVELMENTE MAL SUCEDIDOS.

Vejamos as grandes empresas, nos tempos em que entregar o produto era mais importante do que a qualidade, o respeito aos consumidores, o respeito aos colaboradores. Os colaboradores eram simplesmente mão de obra, comandados e dirigidos a produzir, e pronto. FAÇA-SE.

Muitos empresários, ainda não se deram conta, que o maior patrimônio de uma empresa, são OS COLABORADORES. De mão de obra, passaram a ser” CABEÇA DE OBRA”. De nada adianta ter as melhores e mais modernas máquinas, ter a indústria ou o comércio mais atual , de ponta, se por detrás destas máquinas, desta linda loja, existem pessoas em conflito, consigo próprias, em suas casas ou em conflito com a empresa e seis líderes.

Nós somos conhecidos por aquilo que fazemos, e não por aquilo que dizemos. O exemplo arrasta. De nada adianta falar faça isto ou aquilo, se o líder fizer diferente daquilo que falou. OU CONSTRUIMOS EQUIPES COMPROMETIDAS, OU SOZINHOS NOS DESINTEGRAREMOS. A formação de equipes cabem exclusivamente aos líderes da empresa. Cabe a eles ENTENDEREM DE PESSOAS. Só assim as empresas se tornarão competitivas, de ponta, resistem mais às  crises, serão mais respeitadas e por consequência sobreviverão às adversidades.

A pergunta é: Quanto você entende de pessoas. O que você tem feito para entender melhor de pessoas. Você se entende. Você realmente se conhece. O que você buscou nesta área no último ano.

A Nobre treinamentos poderá te ajudar nesta área.

Trabalhamos exatamente nestes que são os que farão de você, da sua empresa, uma empresa bem sucedida.

Norberto Valentini