Princípios acima de personalidades

Certa vez li em um jornal, em uma matéria especial sobre empregos e mercado de trabalho, que tinha o seguinte título: “Currículo abre portas, comportamento fecha.”

 

Ainda vi em outra matéria, em outro jornal, que a maior causa de demissão nas empresas é a dificuldade do colaborador se adaptar à cultura daquela empresa.

 

Princípio dentro de uma empresa faz parte da cultura daquela organização, portanto, é algo que deve ser feito independente de você ou qualquer outro colaborador querer ou não.

 

É uma norma ou procedimento,  por exemplo um relatório periódico, uma assinatura em algum documento, um pedido com prazo antecipado, etc.

 

Pode ser também a forma de atender um telefone, um atendimento personalizado aos clientes, uma forma de entregar algum produto ao destinatário.

 

Qualquer coisa que deva ser seguido à risca.

 

Todos esses quesitos tem por objetivo manter a organização, facilitar o trabalho, eliminar conflitos, diminuir margem de erros e aumentar margem de acertos.

 

Para que seja ainda mais efetivo, independente o tamanho da organização ou o ramo de atividade, deve estar tudo registrado em um manual de normas e procedimentos e ser amplamente divulgado para todos os colaboradores em todos os níveis hierárquicos. Desta forma qualquer coisa que der errado, deve-se sugerir estudar este manual.

 

Personalidade é algo que você ou outro colaborador queira fazer, porque pensa que é o melhor caminho pra ser tomado. Pode ser que o resultado individual seja ótimo, mas, e para a organizção? Devemos entender que qualquer decisão tomada de forma egocêntrica faz, na maioria das vezes, com que toda a estratégia de processos e pessoas seja modificado, e acaba por atrapalhar a estratégia da diretoria e lideranças. Estas estratégias, por vezes, não precisam ser entendidas por todos, pois podem ser ocultas à alguns cargos, para um resultado melhor, mais à frente. Portanto basta seguir as regras dos superiores. O líder sempre será responsável pelo que der errado, e, a equipe será responsável pelo que der certo.

 

Pode-se haver bons motivos para colocar a personalidade acima dos princípios, entretanto, algumas coisas irão acontecer:

 

- Abrir precedentes: sempre que alguma coisa é feita fora dos princípios, outro colaborador poderá querer seguir o caminho errado também, afinal alguém já fez!

 

- Conflitos: quando algum colaborador faz algo diferente que dos princípios poderá gerar atritos com outros colaboradores que fazem certo.

 

-Atrasos: pelo fato de ter que arrumar algo que foi feito errado.

 

- Entres inúmeros outros problemas.

 

Estudo de caso: empresas familiares.

 

Havia um empresário com um coração muito bom e com vasta experiência no seu ramo de atividade, este homem era muito amado por todos pela sua imensa bondade, por isto sua empresa se perpetuou por muitos anos, pois todos queriam estar perto dele, se sentia honrado por tamanho reconhecimento, pois também prestava um excelente serviço, contudo, algumas falhas aconteciam por ser tão bom: tinha dificuldades de fazer cobranças e também de criar procedimentos para a empresa crescer de forma organizada.

 

Sabia que um dia, alguém teria que assumir a sua empresa, esperava que fosse seu filho, que tinha metade de sua idade e experiência.

 

Quando finalmente este assumiu a empresa, seu pai,  que tinha também como grande mestre, tinha dificuldades de seguir os novos procedimentos.

 

Já o filho, que via o negócio de forma mais comercial e menos emocional, tinha dificuldade de fazer tudo o que o pai fazia com tanto amor.

 

Desta forma o experiente empresário agia muito mais com o coração do que seu filho e o filho agia muito mais com razão do que o pai, causando muitas vezes conflitos.

 

Esta história remete a muitas organizações familiares do nosso dia a dia, por este motivo pais e filhos acabam tomando rumos diferentes. E, quando juntos, podem fazer acontecimentos extraordinários.

 

Devemos portanto, sempre agir com honestidade, mente aberta, boa vontade e amor. Desde que sempre dentro dos princípios, normas e procedimentos, assim ganharemos amor e organização e todos sairão felizes. 

 

Obs.:

Os problemas geralmente são os mesmos nas organizações. Pouca coisa muda. Aquelas que tiverem os colaboradores mais preparados e principalmente os líderes, perpetuarão.

 

 

Nobre abraço

Rodrigo R.  Valentini